Conto Erótico: A massagista

Role Pra Ler

Meu nome é Manuela, sou muito viciada em trabalho e por isso acabo sentindo fortes dores na coluna, comentei isso com uma amiga ela me indicou uma massagista amiga dela. No dia seguinte liguei pra essa massagista e marquei com ela pra aquela tarde, Márcia era o nome dela. Sou muito pontual, e quando cheguei Márcia já estava à minha espera. Ela era branquinha, de cabelos pretos e baixinha, achei ela super fofinha, ela tinha uma bunda empinada, e seios médios, sou bi sempre reparo em outras mulheres.

Expliquei a ela sobre a minha dor e ela me garantiu que sairia mais aliviada. Tirei a roupa e fui pra maca, ela passou o óleo e começou a massagem pelo meu pescoço e assim foi avançando pelo meu corpo. As mãos dela eram leves e firmes ao mesmo tempo, eu sentia cada tensão indo embora. E ia avançando ainda mais, ela passou óleo na minha bunda e pernas, foi ai que tudo mudou, ela me massageava perto da bunda e eu não sentia algo dentro de mim, passou a mão na minha bunda mas não demorou muito, quando chegou nas minhas coxas que eu senti que estava ficando molhada, ela passava as mãos por dentro e por fora e ia me atiçando mais e mais. Minha mente viajou e eu nem escutei quando ela me disse que tinha acabado. Eu realmente tinha relaxado.

Fui pra casa e no caminho todo só conseguia pensar nas mãos dela. Cheguei em casa e fui tomar banho, minha mente só viajava em relação a isso, comecei a me tocar no banho, me masturbei pensando em como ela poderia me beijar, pegar meus seios, me apertar entre as coxas como ela acabara de fazer. Acabei gozando quando minha mente projetou uma imagem dela subindo as mãos e encostando na minha buceta.

> Classexy

A semana correu normalmente, pensei em ir na massagista outra vez, mas achei melhor não, com o tesão que estava nela era bem capaz de ataca-la la mesmo. Na sexta minha amiga me chamou pra ir em um barzinho depois do trabalho, aceitei, não tinha nada pra mesmo. Chegando lá Márcia também estava com mais duas garotas, Brendah e Camila, lindas. A noite foi avançando, cervejas, risadas e como cinco garotas sozinhas em uma mesa chama atenção, uns caras chegaram na gente e vi minha amiga conversando com um deles, levantei e fui sambar, Márcia me acompanhou e as outras duas continuaram bebendo. Chamamos atenção sambando, os caras vieram nos acompanhar, mas eu não estava ligando pra eles, vi que ela ate ia na deles. Cansei e fui sentar, fiquei conversando com as meninas e Camila falou “não sei o milagre da Márcia esta dançando com eles, ultimamente ela vem preferindo mulheres. Aquilo me surpreendeu, não imaginava que ela gostasse de mulheres também.

As meninas foram ao banheiro e Márcia voltou pra mesa, rindo ela falou “nossa não sei o que fazer, aqueles dois querem ficar comigo e não sei qual escolher”, rindo eu respondi “me escolhe pow”. Ela parou de rir e ficou me encarando “não sabia que você curtia mulheres” “nem eu a você, mas suas amigas comentaram aqui e to interessada”. Ela olhou pra baixo e depois olhou pros caras, voltou pra mim e falou “vamos sair daqui” “vamos la pra casa” “vamos”. Passamos pela minha amiga e falei, indo embora miga, “vê ai pra mim e depois nos resolvemos”, ela olhou pra Márcia e deduzindo me deu tchau.

Quando chegamos no meu carro encostei no carro e a puxei pra mim, nos beijamos, foi um beijo calmo, passei a mão sobre sua cintura e a apertei, ela parou e me olhou, voltou a me beijar, mas agora com intensidade, com desejo, com fome de quero muito mais, fiquei sem folego com o desejo daquela garota. Entramos no carro e fui dirigindo ate em casa, no caminho ela ia passando a mão nas minhas coxas e beijando a minha nuca, parecia que tinha adivinhado a minha tara nela. Chegamos na minha casa e entramos sem muitos amassos. Assim que passamos da porta ela me agarra novamente, me beija e vai levantando a minha saia. Viro de costa e ela beija minha nuca, passa a mão em meu seio enquanto enfia a outra na minha calcinha, brinca um pouco ali e saiu logo.

Vou em direção ao sofá e a empurro pra lá, vou por cima e beijo, tiro uma alça da sua blusinha e passo minha língua sobre seu peito, biquinho rosinha, me empolgo e em pouco tempo ja estou mordendo e ela gemendo, passa as mãos pelo meu corpo, minha bunda, tiro sua blusa, e o sutiã, vou beijando seu corpo, descendo ate a beirada do seu short, vou desabotoando olhando pra ela, ela está sorrindo, aquilo me da um tesão! Tiro seu short e vejo uma calcinha verde com detalhes brancos, beijo por cima da calcinha mesmo, ela geme, coloco a calcinha de lado, e passo a mão por cima da sua vagina, ela está molhada, enfio dois dedos, ele geme mais alto, me abaixo e enfio minha língua, ela segura minha cabeça, vou chupando aquela coisa gostosa, finalmente tiro sua calcinha e abro bem suas pernas seguro suas coxas e caio de boca em sua buceta, ela vai gemendo e se contorcendo, coloco de novo dois dedos, juntando movimentos de vai e vem com minha língua ela vai a loucura, pressiona minha cabeça contra sí, paro de chupa-la e vou beija-la, meus dedos continuam dentro dela, entro uma, duas três vezes e abafo seu gemido com minha boca, passo meu dedão em seu clítoris e minha boca a brincar em seus seios, ela começa a se contorcer e me dedico só a seu clítoris, intensifico enquanto a olho. Ela geme me apertando e sinto minha mão ficar encharcada, ela gozou e estava ofegante, a beijo e sorrindo fala “minha vez”.

Tirei a minha roupa e joguei no chão, ela com voz autoritária só falou “deita de barriga”, deitei e ela veio por cima de mim, beijando a minha nuca, descendo pela minha coluna e chegando a minha bunda, abriu minhas pernas e eu ja pingava de molhada, enfiou a cara entre as minhas pernas e foi me chupando verozmente, foi sugando, lambendo, eu gemendo, gritando, me contorcendo, mordi a almofada e ela brincando com a boca em minha vagina. Enfiou um dedo e continuava me chupando, tirou o dedo e colocou na minha boca “sente seu gosto” eu limpei seu dedo e ela não parava de me chupar, ela me surpreendeu quando abriu minhas nádegas e passou a língua no meu cuzinho, e ficou estimulando meu clítoris, aquilo estava melhor que minha imaginação, ela sabia o que fazer com aquela língua. Enfiou de novo a mão em mim, agora três dedos, “puta merda” gritei, ela foi mais rápida e eu ja estava perto do clímax, ela parou de me masturbar e só colocou a língua no meu clítoris para eu explodir em um orgasmo maravilhoso. Ela continuou a me chupar até meu corpo se acalmar.

Dormimos juntas e quando acordei ela já tinha ido embora, levantei e fui na sala buscar as roupas do chão. Quando olho meu celular e tem uma mensagem dela. “Tem uma massagem grátis”.

Enviado por A-Cretina: Clique e confira

Pular para a barra de ferramentas