Se proteger para não ter filho. Esta não é a única função de métodos contraceptivos, ao menos alguns, e é exatamente do que esse assunto vai tratar hoje, apenas 72% dos homens brasileiros concordarem que é responsabilidade do casal se proteger de DST’s e uma gravidez indesejada, apenas 31% deles e se previnem e só 55% acham normal falar abertamente sobre contracepção.

Se proteger contra uma doença sexualmente transmissível ou até mesmo de uma gravidez indesejada não é responsabilidade da mulher. É dever do casal quando ocorre uma relação sexual se previr antes de tudo. Os dois tem o dever de tomar os devidos cuidados e ficar sempre ligados nos métodos contraceptivos.

Métodos contraceptivos masculinos

Enquanto para as mulheres existem uma variedade de opções, o homem tem apenas duas: a camisinha masculina e a vasectomia. O que seria a vasectomia, o homem passará por uma cirurgia que vai interromper a passagem dos canais por onde sairá o espermatozoide. Não existe nenhuma complicação e não haverá necessidade de internação, apenas uma anestesia no local. Vale lembrar que não tem volta, é um procedimento irreversível. Mas, essa opção é para quem não deseja ter filhos, a vasectomia não vai proteger contra uma doença sexualmente transmissível. Para isso você deve ser utilizado um método de barreira, vai barrar qualquer transmissão ou enfermidade. O uso de preservativos, tanto o feminino quanto o masculino, você só não pode usar os dois ao mesmo tempo, já que o atrito do látex pode fazer com que as camisinhas rasguem.

Não gosto de usar camisinha, a camisinha me incomoda, não tenho tesão usando camisinha.

Alguns homens além dessa desculpa esfarrapada, ficam com medo de falhar ao precisar parar para pôr a camisinha, mas vale lembrar que é mais interessante fazer com medo do que pegar uma doença ou pior uma gravidez indesejada, então caso o seu love diga algo, ou fale algo desse tipo já pule fora.

Métodos contraceptivos femininos

A curto prazo:

Preservativo feminino

Vai funciona como a camisinha masculina.

Diafragma

Um copinho que é colocado dentro da vagina da mulher. Tem um tamanho específico para cada pessoa e deve ser usado com espermicida.

Pílula anticoncepcional

Comprimido de hormônios que a mulher deve tomar todos os dias e no mesmo horário.

A combinação camisinha e pílula é considerada a mais eficaz para evitar DSTs e uma gravidez indesejada. Entretanto, assim como qualquer remédio, a mulher pode apresentar alguns efeitos colaterais é necessário sempre procurar o auxílio de um médico.

Curto prazo

Injeção hormonal

Ao invés de tomar a pílula, a mulher pode tomar uma injeção hormonal. Existe a injeção mensal e a trimestral.

Anel vaginal

Mais um método hormonal que substitui a pílula. O anel que é formado por um plástico flexível é inserido dentro da vagina e deve ser trocado mensalmente.

Adesivo hormonal

Outra forma de substituir a pílula, mas, assim como a injeção e o anel vaginal, não é tão eficaz. Para quem decidi usá-lo, é preciso trocar a cada semana, com uma de pausa, quando a pessoa menstruaria.

Longo prazo:

Implante

Conhecido como “chip da beleza”, é um implante hormonal que muda de acordo com as necessidades da paciente, então é um tratamento personalizado. É inserido sob a pele da mulher e dura por até três anos.

DIU hormonal

Pequeno objetivo de plástico que é inserido no útero da mulher por um profissional. Atua como contraceptivo hormonal por um período até cinco anos.

DIU de cobre

Assim como o DIU hormonal, também é um objeto pequeno que é colocado no útero da mulher. Neste caso, o material é de cobre, fazendo com que o organismo identifique um corpo estranho no órgão e o torne estéril pelo período em que estiver inserido. A validade é de cinco a dez anos.

E temos o definitivo:

Laqueadura

Procedimento médico para esterilizar as mulheres, assim como a vasectomia. Um alerta, que a chance de arrependimento é grande quando estes procedimento irreversíveis são feitos antes dos 30 anos de idade.

Mais arriscados

Tabelinha ou aplicativos

Muitos casais estão voltando a usar métodos bem antigos, que é o de controle do período fértil. Entretanto quem não quer ter filhos de jeito nenhum deve ficar bem longe deste método. É bom conhecer o próprio corpo, mas deve-se ficar atento porque algo sempre pode dá errado.

Coito interrompido

Mesmo que o homem ejacule para fora do organismo reprodutor da mulher, há a chance de espermatozoides que estão no canal saírem junto com aquele líquido que sai no início da relação para lubrificar no pênis o Líquido pré-ejaculatório. A chance é mínima, mas pode, sim, acontecer. Muitos jovens acreditam que conseguem remover antes de gozar, mas sempre falham mineralmente, então não faça essa burrada.